Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quem sai aos seus

Um blogue para a Madalena, para a Teresa e para a Francisca.

Panda Musical - a crítica

Para estreia em eventos deste género - ia dizer culturais mas chamar cultural ao 'Panda Vai à Escola - o Musical' (é assim que se chama realmente) - a Madalena portou-se para lá de bem. Não é que tenha querido participar muito. Manteve sempre uma engraçada tendência para ficar séria e observar tudo. Não quis dançar no chão e muito menos ir dar um abraço ao Panda, mas bateu palmas, cantou e passou o dia a falar no que viu. Ao intervalo, a coisa que mais a surpreendeu foi ter aparecido uma cama com o Panda e depois ele ir para a escola. Suponho que nada cabeça dela lhe faltavam ali uns quantos passos intermédios. Mas a cama foi mesmo impactante. No final o Panda vai para a cama mas acaba por se levantar para cantar uma última cançãozinha e a Madalena adorou. Lá está, deve ter-lhe soado familiar. O que até é um bocado chato. Com tanta coisa educativa do que é que se lembra? Do único gesto de rebeldia do Panda! Ai, ai...

 

Aliás, uma coisa muito muito surpreendente para mim que ainda nunca tinha ido a estes eventos infantis em grande escala é o bem que as crianças se portam. Tenho a ido a concertos para adultos com gente mais selvagem.

 

Do espectáculo propriamente dito adorei que fosse curto e compacto, ideal para que a miudagem não se fartasse. Este detalhe está directamente relacionado com o que não apreciei. O preço, mas, pronto, não vamos agora chorar o dinheiro. Foi um óptimo momento em família e, quanto mais não seja, daqui a 30 anos, quando se fizer a Caderneta dos Cromos dos primeiros dez anos do milénio, a Madalena vai poder dizer "Eu vi". Outro ponto positivo: tiveram o bom senso usar mais as músicas do primeiro CD 'Panda Vai à Escola' que é basicamente aquele que nós conhecemos. E se eu, mamã, cantei e bati palmas! Estou particularmente viciada nesta canção:

 

 

 

 

 

Coisa que não gostei (e que não tem nada a ver com a criançada ou com o espectáculo): somos um povo totó e não há nada a fazer. Começa nas saídas do parque de Campo Pequeno, que são de tirar a paciência à Heidi, passa por aquelas famílias que decidem parar os carros junto aos elevadores como se fossem os únicos com crianças e passa, sobretudo, por termos pouca visão para o negócio. Uma pessoa podia passar por toda aquela experiência sem grandes contactos com o merchandising da marca Panda. É notável! Não é que eu estivesse desejosa de ser atropelada por porcarias Panda, mas achava que ia ser e, pronto, eram as regras do jogo. A gente leva os miúdos para eles se divertirem, mas aquilo é para fazer dinheiro. Antes de chegarmos até disse à Madalena para ela não se entusiasmar com tudo o que visse porque não se pode comprar tudo. Ora, no final, como gostei tanto até me apetecia ter uma t-shirt, caneca, mochilinha, qualquer coisa para mais tarde recordar. Como não veio ter comigo, também não me dei ao trabalho...

 

É isto e não se poderem tirar umas fotos com o Panda. Se uma pessoa vai ao Colombo e está disposta a pagar por fotos com o Pai Natal, também há-de querer com o Pherói dos filhos. Digo eu. Isto ocorreu-me não por eu ser muito esperta ou ter uma grande visão mas porque no final o animal veio dar uns bacalhaus ao miúdos mais destemidos. Aquilo foi uma algazarra! Ao ponto de até se terem perdido crianças e de os seguranças se porem a dizer nos walkie-talkies "fechem as portas! não sai ninguém" (veio-me à cabeça a palavra Maddie). Ora, não seria melhor terem organizado a coisa? Vinha o Panda, as crianças faziam fila, abraçavam, tiravam-se fotos e depois os pais como nós, que não são assim grandes fãs de tirar fotografias, não tinham de se preocupar com o assunto. Neste momento, há um balão de desenhos animados em cima da minha cabeça. Tem cifrões dentro e ouve-se o som de um máquina registadora.

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D