Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Quem sai aos seus

Um blogue para a Madalena, para a Teresa e para a Francisca.

Cantigas em uníssono só no coro e mesmo aí, nem sempre

Ontem, perante as polémicas declarações de João César das Neves (JCN) ao DN -- coisas como "Subir o salário mínimo é estragar a vida aos pobres" ou "muita gente fala em nome dos pobres mas não é pobre" -- o Facebook encheu-se se comentários como "assassino", "nojo" e insultos deste calibre. Dou muita importância a estas coisas porque revelam uma tendência e gosto de perceber isso. Como é óbvio, assiste a todas as pessoas que o dizem o direito de o dizerem e, vamos lá ver, na maioria do casos, quem o diz são pessoas de quem gosto. Porém, às vezes sinto que é necessário dizer que João César das Neves também tem direito à sua, gostemos ou não do que tem para dizer. E se bem que ele tenha muito palco para o poder que realmente tem (é apenas professor), o que acontece é que lhe é dado porque, é inegável, existe originalidade no seu pensamento e coragem em expressá-lo, o que é raro.

 

Por acaso eu acho que assiste alguma razão ao JCN no que diz sobre o salário mínimo. Entre a população menos qualificada isso pode significar ainda mais dificuldades em arranjar trabalhar. Em teoria. Na prática, estamos a falar de 485 euros ou 500. É um salário muito baixo. Dá para sobreviver mas não dá para fintar o destino. E se uma empresa depende de 15 euros (mesmo que esses 15 euros sejam multiplicados por muitos) para ser viável... Bom, talvez a primeira coisa a fazer seja analisar as suas contas. Em todo o caso, isto sou eu a assumir que o que JCN quer dizer é isto, porque francamente ele não se explica lá muito bem na entrevista. E eu estive a lê-la, de cabo a rabo, precisamente para não estar a falar de cor, que é uma coisa mais frequente do que se podia imaginar.

 

Mas, e isto é importante, nem sequer estou a falar das ideias do João César das Neves (e as minhas certamente são as que menos importam).

Estou a falar desse terreno fértil para os radicalismos que surge aqui e ali. É o velho e batido "opiniões todas, logo que eu esteja de acordo com elas".  Calha, por razões históricas, que a direita seja mais mal vista em Portugal do que a esquerda, mas isso é circunstancial. Sempre que vejo estas coisas lembro-me da história do homem que trabalhava para o regime comunista na Polónia e, depois da queda do muro de Berlim, pouco faltou para ser escorraçado do seu país. Tinha cometido algum crime? Não. Podia dar-se o caso de o ter feito e então falava-se de outra maneira, mas não. O seu único crime era pensar contracorrente. Se isto é aceitável...

 

Era interessante começarmos a aceitar as opiniões diferentes com respeito e sem cair no insulto.

Quantas boas ideias e opiniões terão sido caladas só porque as pessoas não estão para se chatear?

 

O vídeo e a notícia, diretamente da fonte

2 comentários

Comentar post

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D