Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quem sai aos seus

Um blogue para a Madalena, para a Teresa e para a Francisca.

Os dez piores do Governo

Estão quase a fazer um ano no governo. Acho que chegou a hora de, qual Marcelo Rebelo de Sousa, elaborarmos um ranking com as nódoas deste Governo:

 

1. Cecília Meireles - Se a vi não me lembro. 

2. Álvaro Pereira - Sai, homem, sai. Salva-te enquanto é tempo. 

3. Pedro Martins - Até ao fim de semana passado, nem sabia que existia. Está tudo dito. 

4. Assunção Cristas - Manda os jovens a ocuparem as terras como se a solução para os problemas fosse tornarmo-nos todos agricultores, subsídios para tudo e mais alguma coisa... É um desastre.

5. Nuno Crato - É bem mais tolinho do que eu pensava. Uma pena. 

6. Paula Teixeira da Cruz - Até tenho simpatia pela senhora (não consigo olhar para ela e não pensar na tragédia que lhe aconteceu) mas dá-me vergonha ver uma ministra a comentar um caso judicial (no caso, o Duarte Lima). 

7. Paulo Portas - Está-me cá a parecer que o pouco dinheirinho que há é ele que está a ficar com ele. 

8. Miguel Relvas - Já se sabia que estava no Governo para ser o primeiro-ministro na sombra, aquela ligação ao partido e aos tachos. Mas sem dinheiro... É mais difícil, não é?

9. Passos Coelho - No fim da linha há sempre alguém que manda em nós mas agora, com os pezinhos no mundo real é que se está a ver a falta que faz ter tido um trabalho a sério e um patrão a quem obedecer. Por um lado, não tem conhecimentos técnicos, por outro não lhe apetece sujar as mãos. Deixa o primeiro para o ministro das Finanças e o segundo para o ministro adjunto e dos Assuntos Parlamentares. Ou seja, a carga pesada é para os outros. C'a bonito! 

10. Vítor Gapar - Na verdade, é ele que manda em tudo. Que sabe fazer contas é um facto mas é um ditador em potência, escrevam o que vos digo. Olho neste menino. 

Globos de Ouro

A cerimónia foi fraquíssima e o momento baixo foi a atribuição do galardão ao Pinto Balsemão (não é porque ele não mereça é porque é foleiro), mas a passadeira vermelha nem me pareceu que acusasse a austeridade. Acho que as mulheres estavam tão bem ou tão mal vestidas como em edições anteriores. E, francamente, se estão bonitas ou feias quase depende de quem fotografou. A Iva Domingues, por exemplo. Tanto a vi cheia de glamour como a parecer que tinha saído do forno. O segredo é o fotógrafo. Em galas destas, só há uma pessoa que têm de tratar bem: a que tem a máquina!

De resto, usar um vestido comprido não é para todas. Há raparigas que por melhor corpo que tenham e por mais belo que seja o vestido parecem sempre vulgares, como a Andreia Rodrigues (é bonita mas não tem classe) e outras, como a Raquel Prates, que vão com um vestido da avó e tornam-se tendência.

Tomar porcarias, sim ou não?

Tomar corticóides para evitar a prematuridade dos pulmões da Quica foi a proposta do nosso obstetra na nossa última consulta. Recomendou uma conversa com a pediatra das miúdas para debatermos o assunto. Dai a minha curiosidade sobre o assunto, daí o meu pedido de ajuda (obrigada pelas respostas, se quiserem continuar não se inibam porque fiquei mais esclarecida e, já se sabe, informação é poder). Este é um assunto delicado para mim. Portanto, isto hoje vai ser loooooongo... Se quiserem parar, agora é o momento.

 

As nossas duas filhas nasceram às 38 semanas de gestação, ambas nasceram de cesariana, tudo correu bem e, no entanto, por alguma razão que não sabemos, desenvolveram pneumotóraxes, que acabaram por degenerar em hipertensão pulmonar e persistência do canal arterial. Se existir para aí um/a médico/a arrepiado/a com o que estou a dizer, desculpe. Os meus conhecimentos são rudimentares e, honestamente, eu própria tenho problemas com a ordem e a causa. O que conheço é o seu efeito prático: bebés em incubadoras durante duas semanas após o nascimento, cheias de tubos. O caso da Teresa foi menos grave (fomos mais rápidos a detetar o que se passava), mas no caso da Madalena só me lembrar dá-me vontade de chorar. Além disso, estou absolutamente convicta que o mesmo vai acontecer à Francisca (podem ir reservando a incubadora 1). Para quem tem ou teve filhos internados durante mais tempo, as minhas penas são ridículas mas não consigo deixar de pensar nisso.

 

Os pneumotoraxes são mais frequentes nos bebés que nascem de cesariana, mas estamos a falar de um número que não deve chegar aos 10%. Por isso, que aconteça a duas irmãs é muita coincidência. E coincidências é coisa em que os médicos não acreditam. Duas vezes? Really? Descobrir a causa seria importantíssimo mas, infelizmente, Dr. House não andava por ali. 

 

Com a Madalena, sempre que trocavam de turno havia um médico que me perguntava se eu tinha tomado um medicamento qualquer (já não me lembro qual). Com a Teresa, a neonatologista, sem explicações, disse-nos que se tivéssemos outro filho para esperarmos até, pelo menos, às 39 semanas para marcar a cesariana.

 

Tenho sentimentos ambivalentes em relação a tudo isto. Por um lado, há a questão das semanas de gestação. Hoje em dia até me arrepio toda quando ouço amigas e conhecidas dizerem que querem que os filhos nasçam às 37. O que, eu sei, é absurdo. Dado que há prematuros que nem pela incubadora passam. Mas sei que aguentar até às 39, do tamanho que devo estar, com o desconforto que dá... É penoso e não vale a pena dizer que não. 

 

Por outro lado, tomar porcarias... Não me apetece tomar cortisona só porque sim, sem ter a certeza que estou a tomar o medicamento certo para o problema em causa. Mas imaginar que isso pode fazer a diferença também me conforta não posso dizer que não...

E a falta de preservação que vai nestes cérebros?

 

Há pouco a dizer sobre este anúncio, exceto que fala a verdade: não está provado que estas células façam milagres e a única razão para se gastar mil euros nestes kits é verdadeiramente a dúvida que assola todos os pais (o que é muito lamentável e só vai servir no fim de contas para quem é do contra vir louvar o arrojo dos consultores publicitários, João Wengorovius e Pedro Bidarra).

Não fizémos da primeira vez porque, uma vez informados, nos dissseram que era inútil. Não fizémos da segunda porque continuava a não existir certeza sobre o tema. Entretanto, foi criado o Lusocord. E eu, que já tinha arrumado o assunto células estaminais, volto a abrir a gaveta graças ao reclame. Vou informar-me sobre o banco público. A fazer sentido em algum lado é lá.

Ajuda

Em futuro post, com mais tempo e detalhe, tratarei de explicar o porquê desta minha pergunta, mas para já gostava de saber se há por aí alguém que tenha tomado cortisona no fim da gravidez para evitar o parto prematuro? Como é? O que se toma (comprimidos, injeções, e injeções onde)? Quanto tempo? Há contra-indicações? Resultou? Contem-me tudo. Acreditem que é por uma boa causa. Obrigada.

 

Atrás das teclas

foto do autor

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D