Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quem sai aos seus

Para a Madalena, para a Teresa e para a Francisca.

Teresinha, já tens três anos

Teresinha,

que hoje deixaste de ser bebé e passaste a ser uma menina, tudo o que há para saber sobre o teu nascimento, encontras aqui e em posts à volta. Estava  calor, demorou, fizeste-te esperar mas valeu a pena. És perfeita. Perfeita birras enormes, perfeita na alegria com que gritas "ganhei", na ironia de dizeres à Madalena "xou a mais belha", nas letras que ainda trocas, nas cores que aprendeste sozinha, no teu vício do iPad, na tua mania dos vestidos de princesa, de acordares e dizeres "qué piqueno-almoxo". Adoro essa maneira de falar ainda atabalhoada. E adoro que tenhas ideias tão firmes e irredutíveis (exceto quando estás com o toco e és capaz de dizer uma coisa e o seu contrário em dez segundos). Que aprendas tudo sozinha e que tenhas tão bom sentido de orientação.

Nos bastidores do novo blogue

Portanto, já disse quem tratou do look 2013 do blogue, estou a sentir good vibes desse lado e estou mesmo contente.

Meti na pinha que isto havia de ter playmobil mas estava longe de imaginar que a Cláudia seria perfecionista ao ponto dos bonecos terem as nossas cores dos olhos. As descrições também são da sua autoria. Adorei. Captam a essência da coisa na perfeição. As minhas preferidas são a do pai, porque o mantém no anonimato (lol), e a da Francisca, porque é a legenda de uma foto dela que postei no FB no dia em que o príncipe George nasceu.

Planear o nascimento dos filhos - parte 2

A propósito do post dos aniversários, recebi várias mensagens de solidariedade com a minha pequena Teresa, que, by the way, assinala amanhã o seu terceiro aniversário (não se esqueçam!!!), e queria destacar uma. A da pessoa que lembrava a única época do ano que é pior do que o verão para fazer anos: o Natal. Sou obrigada a dar-lhe razão. Nascer a 24 de dezembro deve ser um tormento. E quem diz 24, diz 25 ou 26 ou qualquer dia das férias de dezembro. Festa? Não existe. Presentes? "Este é pelo anos e pelo Natal". É tudo mau. Portanto, minha gente a pensar em procriar, lembrem-se que também é da máxima conveniência não competir com o Todo Poderoso.

Relato emocionante dos primeiros dias de férias

Estou velha.

Claro que isso não é uma dessas coisas que as outras pessoas possam dizer. Não podem. Só eu. Quem ouvir tem mais é que dizer "não estás nada, nunca estiveste melhor". Esse é o papel que espero que cumpram. Em todo o caso, factos são factos. E o facto é que o meu corpinho não aguenta um jantar com dois copos de sangria branca e o mojito que bebi a seguir no Bairro Alto. Também se deu mal com isso de me deitar às 04.00.

É triste. Uma pessoa passa os vinte anos a treinar noitadas e copos, é capaz de aguentar diretas. E para quê? Para chegar aos 37 e três fihas e passar o sábado em estado de coma. Nem foi a bebida. O dormir pouco é que acabou comigo. O senhor com quem me casei e que esteve em outro evento não estava melhor. Foi um bonito dia em família. Não sei como é que os alcoólicos fazem mas eu aderia aos 12 passos só para não ter aquela sensação de que um alfinete a cair no chão incomoda. E, pronto, é isso. Estamos de férias. Não sei se já disse. E já voltámos a ser aquelas pessoas normais que passeiam aos domingos e vão comprar iogurtes.

 

Chamem-me maluca, eu aguento

O melhor jornal generalista é o Diário de Notícias.

Uma pessoa tem tendência a desvalorizar o que tem porque conhece por
dentro -- sempre focada nos defeitos (eu sou assim e acho que muita gente é) -- e depois perde a noção das coisas, mas é verdade. O melhor jornal generalista é o Diário de Notícias.

Fazer revistas de imprensa pela fresca, ler os jornais com cuidado e atenção, vendo aquilo que está bem escrito e tem substância, vendo aquilo que é uma notícia verdadeira e sustentada é do melhor para a auto-estima profissional. Tenho concluído que o DN é a melhor opção quando uma pessoa quer comprar um jornal que tem um bocadinho de tudo.

Pode não ser o mais bonito, aquele que dá mais estilo ter debaixo do braço para andar na rua mas para quem está interessado em ler notícias e não apenas em parecer que lê notícias, não tenho dúvidas. É o melhor.

E como estou feliz por chegar a esta conclusão.

Real post

Enquanto espero que a Francisca seja atendida mas urgências (como não vos adoro vírus), estou para aqui a pensar que é mesmo, mesmo engraçado uma princesa deixar-se fotografar com a barriga enorme com que se fica quando um bebé nasce. Não sei quais são os preceitos no Reino Unido, se calhar até é normal, mas, como me lembraram hoje, Luciana Abreu, Isabel Figueira, Catarina Furtado... Todas saíram do hospital quase melhor do que antes da gravidez. É uma cena disruptiva que uma mulher QUEIRA parecer uma mamã. O que foi ainda mais extraordinário foi essa conjugação: ser uma mamã e estar muito bonita. Uma dessas combinações que nos dizem que é impossível.

Kate estava até melhor do que quando estava grávida e todas as roupas que vestia pareciam destinadas a ocultar que esperava um bebé.

Eis uma pergunta que me interessava ver respondida: porque é que andou 9 meses a fingir que não tinha o rei na barriga (literalmente) e agora assume os danos colaterais?

Ultimamente, as mensagens para mães são sempre muito focadas naquela coisa do "não te esqueças de ti", que quase sempre se resume a uma coisa estética com a qual as outras pessoas se preocupam mais do que a nova mãe. Como falávamos hoje também, a coisa boa destes bebés reais é também fazerem coisas que vão servir de referência. Talvez esta simples barriga inchada seja muito mais do que isso. Para já a pandilha pró-vamos todos nascer como os índios do Amazonas está muito feliz. E eu também. Acho-os mesmo queridos.

 

Próxima real interrogação: quem será o fotógrafo das primeiras fotos de família do príncipe George?

George. Bonito nome. Em inglês.

Já Jorge Alexandre, valha-me Deus.

Que amor, o "coisinho". Que queridos, os pais



O bebé e os papás, na apresentação pública


O que há para não gostar na realeza? Kate desovou às 16.24, ou lá o que foi, e 24 horas depois já se estava a apresentar em público. Tão lindos, tão queridos, estes dois. Podem dizer o que quiserem da barriguinha da princesa. Não importa. Estava radiosa, o vestido era muito bonito e o cabelo estava bem penteado sem ser excessivo. E aquele momento em que o bebé muda de mãos e eles ainda meio atrapalhados ficam ali a passar o testemunho com todo o cuidado? Que lindo! De repente, veio-me à cabeça aquela primeira noite com a Madalena e como quase era preciso um requerimento para a mudarmos de colo. "Já está? Estás a segurar? Mesmo?".

Pág. 1/6

Atrás das teclas

foto do autor

Instagram

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D